quinta-feira, 22 de novembro de 2012

EU SOU, EU POSSO E EU VOU

EU SOU 
SÃO DUAS PALAVRAS PEQUENAS,
E AINDA,
COM GRANDE PODER.
EU SOU AMINHA VIDA,
E ESTOU VIVENDO-A;
EU ATÉ JÁ ESTOU AQUI,
OLHE PARA MIM...

EU SOU RESPONSÁVEL
POR MINHAS AÇÕES,
E TODAS AS COISAS 
QUE DIZEM -ME A FAZER.
EU SOU RESPONSÁVEL 
POR MEU CARÁTER, 
E COMO INTERAJO COM VOCÊ.

EU POSSO
SÃO DUAS PALAVRAS PEQUENAS,
E AINDA,
COM GRANDE PODER.
EU POSSO, EU POSSO
VIVER MINHA VIDA,
VIAJANDO PELO CÉU, TERRA E MAR

EU POSSO GANHAR 
O RESPEITO DOS OUTROS,
E MAIS UMA VEZ
A SUA VERDADEIRA AMIZADE;
EU POSSO FAZER O MELHOR 
A CADA DIA;
E AJUDAR OUTRAS PESSOAS, TAMBÉM.

EU VOU 
SÃO DUAS PALAVRAS PEQUENAS, 
E AINDA, 
COM GRANDE PODER;
ESTA É MINHA VIDA,
E VOU VIVÊ-LA, 
EU VOU SER ALGUÉM, 
ESPERE E VEJA...

NÃO SOU MAIS CRIANÇA,
MAS NEM UM ADULTO,
NO ENTANTO;
SOU UMA ADOLESCENTE, AINDA...
MAS NÃO SUBESTIME MEU VALOR, 
PORQUE EU SOU, EU POSSO E EU VOU...
 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

 

Nicholas Sparks viveu a sua juventude em Fair Oaks, na Califórnia e vive actualmente na Carolina do Norte com a família. Foi premiado com uma bolsa de estudos da Universidade de Notre Dame pelos seus excelentes resultados e, em 1988, licencia-se em Economia. Curiosamente, o seu sonho era tornar-se atleta de alta competição, sonho de que teria de abdicar devido a um grave acidente. Iniciou-se a escrever enquanto trabalhava como delegado de informação médica e, mais tarde, surge Theresa Park, agente literária, que se propôs representá-lo, vendendo os direitos do seu primeiro romance, «The Notebook», à Warner Books. Com livros como A Última Música(The Last Song)e Querido John (Dear John), Nicholas Spaks tornou-se bem conhecido no Brasil, agora com outros livros publicados pela Editora Novo Conceito.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012



Pela luz dos olhos teus

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.
Vinícius de Moraes
Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Quero para mim o espírito desta frase,
transformada a forma para a casar com o que eu sou:
Viver não é necessário; o que é necessário é criar.
Fernando Pessoa